5 personagens mais aterrorizantes da literatura

| | ,

O post de hoje faz parte do projeto de Blogagem Coletiva do qual estou participando, o Literatura em Movimento. O que acho mais bacana nesse tipo de projeto é que podemos conhecer a opinião de vários blogueiros acerca de uma mesma temática, além de observar como cada um interpreta o assunto à sua maneira.

Em outubro, assim como setembro, pudemos escolher entre três temas diferentes. Eu escolhi o tema Eu não vou te machucar: 5 personagens mais aterrorizantes da literatura! Vamos lá?

1. Ursula Monkton, de O oceano no fim do caminho

O oceano no fim do caminho é um livro polêmico, e seus leitores se dividem entre quem amou a história (eu) e aqueles que até agora não entenderam sob efeito de quais psicotrópicos estava Neil Gaiman quando escreveu a obra. Independente do time, todos concordamos com uma coisa: ninguém gostaria de ter uma Ursula Monkton por perto, principalmente quando se era criança. Ursula Monkton é a representação dos seus piores medos de infância, quaisquer fossem eles. Durante o livro, ela também nos lembra de um fato muito triste: quando estão contra as crianças, os adultos sempre vencem.

Ursula Monkton, de O oceano no fim do caminho

2. Dolores Umbridge, de Harry Potter e a Ordem da Fênix

O medo pode assumir muitas formas. Quando eu era pré-adolescente, assim como a maioria das pessoas, o medo assumiu a forma da mudança. O corpo mudou, os gostos mudaram, as pessoas mudaram. Naquela época, até Hogwarts mudou. O Cálice de Fogo acabou em tragédia, mas foi em Harry Potter e a Ordem da Fênix que me dei conta de que nada mais seria como antes. E Dolores Umbridge foi a personificação dessa mudança, assim como um lembrete de que as coisas podem mudar para pior. Sua maneira totalitarista de dirigir Hogwarts também nos remete a algumas figuras históricas que gostaríamos que nunca tivessem existido.

Dolores Umbridge, de Harry Potter e a Ordem da Fênix

3. Téo, de Dias Perfeitos
Não basta o cara ser possessivo, sequestrar, drogar e amarrar Clarice. Ele precisa achar que tudo isso é necessário, pois é uma questão de tempo para a garota se dar conta de que eles foram feitos um para o outro. Téo é estudante de medicina, e sabemos que gente louca e conhecimento sobre anatomia humana podem ser uma combinação mortífera, risos. Mais assustador que isso é entrar em qualquer portal de notícias para saber que existem vários Téos soltos pelo mundo…

Téo de Dias Perfeitos

4. Norman Bates, de Psicose
Li esse livro há algumas semanas, e em breve trarei a resenha pra vocês, em comemoração ao mês do Halloween. Apesar de conhecer Norman há pouco tempo, já considero ele pacas no quesito medo. A mistura de transtorno de personalidade com suspense costuma dar certo, dando aquele gostinho de “podia acontecer na vida real” à história. Sem dúvidas, o mais assustador sobre Norman Bates é que, superficialmente, ele parece uma pessoa normal (ou seja, alguém que não mata outras pessoas). Quando você descobrir do que ele é capaz, pode ser tarde demais.

Norman Bates, de Psicose

5. A mulher do quarto 217, de O iluminado
Todos os personagens que citei até agora me assustaram de alguma maneira. Mas só a mulher do quarto 217 me fez perder o sono e acender todas as luzes da casa quando eu precisava sair do meu quarto no meio da noite. Pra vocês terem uma noção, eu gelei quando descobri que o Danny encontra ela também em Doutor Sono, a continuação de O iluminado. Quero chorar só de lembrar da descrição arrepiante do King, quando ela se levanta da banheira, o barulho dos pés molhados correndo pelo piso… Se a mulher do filme já é perturbadora, a do livro vai te fazer ver vídeos fofos de gatinhos por uma semana.

A mulher do quarto 217, de O iluminado

Não esqueçam de me contar nos comentários qual personagem te deixa com frio na espinha. Quero ótimas dicas de livros aterrorizantes para ler no mês do Halloween, hein? Boas leituras e sustos!


Anterior

João e Maria, de Neil Gaiman

Toda luz que não podemos ver, de Anthony Doerr

Próximo