A Espuma dos Dias, Boris Vian

| |

A Espuma dos Dias

Ficha técnica do livro A Espuma dos Dias

Título: A Espuma dos Dias

Título Original: L’écume Des Jours

Autora: Boris Vian

Editora: Cosac & Naify

Ano: 2013 – 1ª edição (15 junho 2013)

Gênero: Literatura e Ficção

Páginas: 256



Resenha do livro A Espuma dos Dias

Comecei a ler A Espuma dos Dias casualmente, sem muitas expectativas. Eu nunca sonhei que seria uma leitura tão incrível! Este romance de Boris Vian, trata de diversos temas: amor, doença, morte, amizade…O livro conta a história de seis amigos inseparáveis – Colin, Garota, Nicolas, Chloé, Alise e Isis – que vivem em um ambiente romântico e moderno, onde o sonho e a fantasia em mistura com a realidade.

É uma obra surreal: nas primeiras páginas, causa uma grande estranheza. No entanto, no decorrer da história, A Espuma dos Dias não deixa de surpreender. Boris Vian usa imagens poéticas e surreal para narrar a trajetória destes amigos, que vivem na Paris da década de 1950, em um ambiente repleto de referências ao jazz e do existencialismo. Inclusive, um dos personagens é o próprio Sartre, satirizado por o nome de Jean-Sol Partre. O livro é bastante visual, tanto que a adaptação para o cinema foi ótimo!

Colin é um jovem muito rico que vive rodeado de amigos da moderna e mudou-se para o som de Duke Ellington. Ele se apaixona por Chloe e ele vive uma intensa história de amor, mas a felicidade do casal começa a decair quando é descoberto que ela está com uma doença grave: um lírio-d’água no pulmão direito. Este é o mesmo! Uma flor de lótus com mais de 1 metro no pulmão não é um elemento que é distinto do restante do livro, porque toda a história é contada como se fosse um sonho.

O tratamento adotado por Colin consiste em cercar Chloe flor: sua angústia quando você tenta salvar a mulher acaba se deteriorando todos ao seu redor. Ao mesmo tempo, Garota, seu grande amigo, com o Suave, mas parece mais preocupado com a sua fixação pelo filósofo Jean-Sol Partre, levando sua mulher à loucura. A doença de Chloé, que avança gradualmente contamina o clima da história: o começo foi lindo, animado e feliz, torna-se melancólico, triste e melancólica. A leitura traz reflexões sobre a vida e o amor, mesmo que sob uma aparente ingenuidade e simplicidade.

O surrealismo, o atual tomadas por Boris Vian, é proposto que o inconsciente se sobrepõe a realidade. No surrealismo, a lógica e a compreensão não são elementos necessários para a sensação de trabalho. Desta forma, além de retratar o absurdo, a narrativa é desconstruída ou inexistente. Este elemento é composto de forma poética a decadência que se inicia com o casamento e eventual doença Chloé. Outro fato curioso é que os personagens também muitos anos em alguns dias, como a angústia é estabelecida.

No entanto, apesar de todos esses elementos surrealistas presente na obra, o livro conserva uma narrativa linear. Os elementos do sonho são utilizados como recursos para representar a sociedade parisiense da época, que era fútil, cheia de modismos e muito rápido. Estilo Carpe Diem!

Como já mencionado anteriormente, não é uma adaptação do filme a incrível para A Espuma dos Dias! Se você ainda não assistiu, corre, porque vale muito a pena! Veja o trailer:

Boas leituras!

Adquirindo seu exemplar por este link, você ajuda o Chovendo Livros a crescer!


Anterior

Livros clássicos são para todo mundo?

Uma Dobra no Tempo, Madeleine Engle

Próximo