Exorcismo, Thomas B. Allen

| | ,

Exorcismo

Ficha técnica do livro Exorcismo

Título: Exorcismo

Autor: Thomas B. Allen

Tradutor: Edmundo Barreiros

Editora: Darkside

Ano: 2016 – 1ª edição (20 maio 2016)

Gênero: Literatura e Ficção » Horror

Páginas: 254



Resenha do livro Exorcismo

Há muitos anos, quando eu ainda era jovem e Harry Potter só existia até A Ordem da Fênix, fui na biblioteca do colégio procurar algo interessante para ler. Escondidinho, na seção dos livros de terror, encontrei um exemplar de O Exorcista e logo fiquei curiosa. Não sabia que aquele filme tão famoso era inspirado em um livro! Levei ele para casa e lembro de ter passado os dias seguintes com muito medo, porém vidrada na leitura. Durante um bom tempo, O Exorcista ocupou o posto de melhor livro de terror que eu já havia lido.

Desde que a DarkSide Books anunciou o lançamento de Exorcismo eu fiquei possuída louca. Afinal de contas, o livro conta a história real que inspirou o William Peter Blatty a escrever O Exorcista. Mesmo que nesse meio tempo O Iluminado tenha destronado O Exorcista como melhor livro de terror da vida, ainda assim eu sempre fiquei muito curiosa com histórias envolvendo demônios.

Exorcismo conta a história do jovem Robert Mannheim que, após brincar inocentemente com uma tábua ouija, acaba possuído por um demônio. Após infernizar (literalmente) a vida de seus parentes com os sintomas, a família de Robert decide procurar um padre para realizar um exorcismo no garoto. O ritual dura cerca de quatro meses, muito difíceis e sofridos tanto por parte de Robert como dos jesuítas que assumiram a tarefa. Todos esses acontecimentos são agravados pelo fato de que, bem, eles aconteceram de verdade. E tudo o que Robert e sua família puderam fazer durante esse período era ter fé.

Antes de ler Exorcismo, você precisa estar ciente de uma coisa: o autor, Thomas B. Allen, buscou escrever um relato jornalístico do ocorrido. Em outras palavras, isso significa que o livro não possui reviravoltas, ritmo acelerado, suspense, etc. Exorcismo é muito assustador se você pensar que tudo aquilo aconteceu de verdade (ao menos segundo as testemunhas entrevistadas pelo autor). Mas não espere uma leitura com ritmo de ficção.

Em uma entrevista para o blog Geeksaw, Thomas B. Allen admitiu não acreditar que Robert estava mesmo possuído. Mas isso não impediu que ele ficasse impressionado com os relatos do Padre Halloran, um dos jesuítas que realizou o exorcismo. Segundo o autor, o padre sempre mostrou-se muito racional, e os dois tornaram-se amigos por conta da pesquisa de Allen sobre o caso de possessão.

O que eu achei mais interessante em Exorcismo foi justamente algo que chamou minha atenção há anos, quando li O Exorcistaa burocracia de um exorcismo. Ao contrário do que Hollywood nos fez acreditar, não basta chegar e recitar frases da Bíblia para exorcizar um demônio que habita uma pessoa. É preciso, primeiramente, obter a permissão da autoridade católica máxima da sua região. E para conseguir essa permissão, é necessário reunir provas concretas de que o caso não é apenas um problema mental. Os sintomas da possessão são vários, e vão desde falar outro idioma até manifestações sobrenaturais.

Além da história de Robert relatada por Thomas B. Allen, Exorcismo também acompanha um Diário do Exorcista, onde um dos padres que acompanhou o processo manteve um relatório detalhado das sessões de exorcismo, que duraram cerca de quatro meses.

Exorcismo é imperdível para fãs de O Exorcista (prazer) e entusiastas de manifestações demoníacas. Por ser um relato jornalístico, pode decepcionar alguns leitores, por conta de seu ritmo pouco acelerado. Tenha isso em mente quando pegar Exorcismo para ler! Boas leituras e fique longe de tábuas ouija!

Este livro foi lido e resenhado em parceria com a DarkSide Books. ♥

Adquirindo seu exemplar por este link, você ajuda o Chovendo Livros a crescer!


Anterior

A importância da jornada – Especial: Em Algum Lugar nas Estrelas

Confissões do Crematório, de Caitlin Doughty

Próximo