Frankenstein e suas curiosidades

| | ,

Frankenstein

Frankenstein e suas curiosidades

Em 2018, o trabalho clássico de Mary Shelley, “Frankenstein”, completa 200 anos. Originalmente publicado em 1818, quando o autor tinha apenas 20 anos de idade, revolucionou o gênero literário dos contos de terror. O trabalho mistura elementos de horror e de ficção científica, e rapidamente se tornou um grande clássico da literatura gótica. Confira algumas curiosidades sobre Frankenstein e se apaixonar ainda mais pelo trabalho!

Confira 10 fatos sobre Frankenstein que você nunca poderia imaginar:

1. Frankenstein surgiu de uma aposta?

Em 1816, Mary Shelley, de John Polidori, Percy Shelley e Lord Biron (os dois últimos considerado um dos maiores poetas da língua inglesa), fez uma aposta entre amigos de que poderia escrever a melhor história de horror de todos os tempos. Na ocasião, Maria escreveu o clássico “Frankenstein”, “a mãe de ficção científica”.

Mary Shelley e Frankenstein

2. Quem escreveu Frankenstein?

Apesar de hoje em dia, todos sabemos de Mary Shelley como o criador do famoso monstro, mas não foi sempre assim. Isto é porque a primeira publicação da obra, foi lançado de forma anônima. As razões para Maria para ter feito isso, ainda são discutidos. Alguns argumentam que o autor preferiu o anonimato por medo de críticas tendenciosas por ser uma jovem mulher. Outros acreditam que foi por causa da fama de seus pais: Maria é a filha do filósofo William Godwin e feminista Mary Wollstonecraft.

3. O monstro não é chamado de Frankenstein? Como assim?

Frankenstein, na verdade, é o nome do cientista que criou o monstro, o Dr. Victor Frankenstein. Na história original, o monstro não tem nome, sendo chamado de “O monstro”, “criatura”, ou “Que”.

4. Frankenstein e bioética

Na história, o monstro é projetado de forma desumana, movido apenas pela ambição do cientista. A criatura que não é nem um nome, e é altamente ignorada pela empresa. Inclusive, este é um dos temas em que Frankenstein é discutido até hoje: a bioética. Este ano, a Instituição Real (fundada em Londres, em 1799) vai realizar um congresso por causa dos 200 anos de Frankenstein, para discutir, entre outros temas, a bioética e biotecnologia.

Victor Frankenstein na série Penny Dreadful

5. O trabalho de Mary Shelley e a transfusão de sangue

No ano de 1818, foi realizada a primeira transfusão de sangue com sucesso. Mesmo assim, o processo, por décadas, tem sido considerada como um procedimento bastante arriscado. O desenvolvimento de novas técnicas e descobertas científicas da medicina sempre tem gerado muitos debates. E o trabalho, Maria traz ao público algumas dessas discussões que emergiam na época.

6. Frankenfoods?

O trabalho de Mary Shelley tem inspirado não só os grandes nomes da cultura, mas também ultrapassou as barreiras e foi para o negócio de alimentos. Frankenfood, ou de alimentos, Frankenstein, é a derivada do termo em inglês para alimentos geneticamente modificados, mais conhecidos como transgênicos. O nome Frankenfood normalmente é utilizado pelos críticos da descoberta, como Paul McCartney em sua campanha: “Diga não aos TRANSGÊNICOS” (diga não ao Organismo Geneticamente Modificado).

Gostava de fatos divertidos sobre Frankenstein? Para comprar o livro, basta clicar no link abaixo:

7. A criatura de Frankenstein não é verde

No trabalho original de Mary Shelley, o monstro não é verde, como estamos habituados a ver nas inúmeras adaptações para o cinema do livro, mas a criatura é descrita com um tom de pele “amarelo-pálido”, uma cor cadavérica. Como ele é visto na versão interpretado por David Prowse, a década de 1970, e moeda de um Centavo Terrível, exibida no Brasil pela HBO e tem versão também disponível no Netflix.

O que seria de Dr. Frankenstein sem a sua Criatura?

8. Frankenstein realmente existe?

Sim, Frankenstein realmente existe, e não é, não é a forma que as pessoas pensam. Na verdade, Frankenstein é o nome de um castelo, que está localizado na região de Darmstand, na Alemanha. Inclusive, o site foi visitado por Mary Shelley no tempo, e o nome foi usado de inspiração para o seu trabalho.
A melhor parte é que o castelo ainda existe – pelo menos em parte. O prédio hoje está em ruínas, mas ainda há algumas torres de pé e partes do castelo ainda pode ser visitado. O lugar tem um grande pátio, uma pequena cafetaria e uma área de piquenique com tabelas.

9. Assistente Igor

O assistente Igor, que nas adaptações para o cinema) é criado para dialogar com o Dr. Victor, e também serve, em alguns momentos, como alívio cômico na história, não tem nada a ver com o personagem da literatura. No trabalho, o assistente é descrito como recluso e mais e mais, passa a se distanciar da sociedade.

Daniel Radcliffe jogado Igor na adaptação para o cinema de 2015

10. O que a aposta de retorno no final?

Já foi mencionado que a motivação para a Mary Shelley para começar a produzir esse trabalho de horror, foi uma aposta feita entre amigos. No entanto, na aposta, além de Maria, também participa do escritor Percy Shelley. O último nome do autor não é uma mera semelhança, como Maria e ele estava casado há alguns anos mais tarde. Além de Frankenstein, a aposta também rendeu o início de um outro gênero de horror da literatura que é aclamado até hoje, a dos vampiros. Desde que John Polidori escreveu O vampiro da noite, o que seria a primeira obra literária sobre o tema.

Eu sou suspeito para speakr, porque eu AMO este livro! E você, já conhecia estes fatos sobre Frankenstein? Comente!

Fonte: Via De Leitura/Edipro

Boas leituras!

Adquirindo seu exemplar por este link, você ajuda o Chovendo Livros a crescer!


Anterior

O Menino do Pijama Listrado, John Boyne

Flores Partidas, Karin Slaughter

Próximo